A escola do meu filho ficou cara! E agora?

 

Empty-classroom

Muitas famílias não estão conseguindo manter os filhos nas escolas particulares em que estão matriculados. A crise econômica que assola o país é um dos principais motivos, mas para piorar, ocorre um “efeito dominó” neste cenário. Entenda como isso acontece:

A crise afeta o orçamento familiar. Ocorre um êxodo de alunos para a escola pública e, ao mesmo tempo, um aumento significativo da inadimplência no setor privado de educação básica. As escolas precisam se adaptar à nova realidade e enfrentar os aumentos de custos totais, aumento da inadimplência e drástica diminuição do número de alunos. Não há mágica, as contas são exatas e a consequência natural é o aumento da mensalidade.

 

Que verdades sejam ditas e prioridades não sejam distorcidasmundo

Escolher a escola dos filhos é uma tarefa árdua. A escolha por modismo ou simplesmente por preço não podem fazer parte deste momento. Lembre-se que o que está em jogo é a única coisa que, de fato, fará diferença no futuro dos seus filhos. Assumindo isso, o primeiro ponto a ser analisado é a estrutura pedagógica da instituição. Isso independe do luxo, do requinte ou da bela decoração, na verdade, esses quesitos comumente geram aumento no preço da mensalidade e não acrescentam nada no resultado acadêmico.
Escolha aquela que atenda aos dois mundos, financeiro e de formação.

É comum pessoas reclamando do preço da escola, mas ostentarem uma vida com luxos e mimos que não condizem com tal reclamação, priorizando gastos menos importantes do que a educação dos próprios filhos. Esse comportamento pode trazer consequências desastrosas para o futuro deles.

Escola cara não significa escola boa. Assim como escolher somente pelo preço pode ser uma catástrofe. O preço da escola está ligado à diversos fatores que vão muito além da qualidade dos serviços prestados.

 

Quanto vale o futuro dos seus filhos?Futuro de seu filho

A educação tem um valor que não se pode medir e é muito mais importante do que qualquer herança material. A realidade é que pessoas mal formadas tem menos chance de gerir bem um patrimônio herdado, menos chances de ingresso numa boa faculdade e menos chances de sucesso e destaque no mercado de trabalho. Isso significa que é muito mais caro não ter a educação adequada.

 

Não deixe a crise te impedir de investir na educação de seus filhos!

 

Mudança de escola sem medoMudança de escola

Em tempos de crise, a mudança de escola talvez seja a melhor solução. Para escolher uma escola um pouco mais barata sem perder a qualidade, fugir da “escola da moda” e das instituições mais luxuosas é um bom começo. Há escolas que concentram os investimentos na qualidade de ensino, portanto, basicamente cobram somente por isso. Não há luxo a ser sustentado e isso faz a mensalidade baixar um pouco mais. Mas é necessário dar atenção à detalhes que podem influenciar o desenvolvimento do aluno.

No momento de mudar a criança ou o jovem de escola podem surgir alguns receios. Os mais comuns são a perda de amigos e o medo do novo. A família precisa abrir diálogo com o estudante para desmistificar esses anseios.

Mudar de escola não significa perde os amigos da escola anterior. Mostre aos seus filhos que as amizades antigas podem continuar e a nova escola só irá fazê-los ter mais amigos. Promover alguns encontros fora da escola com os coleguinhas da escola anterior podem ajudá-los na compreensão deste fato.

O medo do novo é normal até mesmo nos adultos. Encorajar os filhos a enfrentarem esta barreira é a melhor solução. Leve-os para conhecer a nova escola e os funcionários que lá trabalham antes das aulas iniciarem, isso vai fazer com que se sintam mais confortáveis.

Os filhos precisam ser incentivados à adaptação, caso contrário, podem aprender que, frente aos obstáculos, o melhor é sempre fugir.

 

Esteja preparadoEsteja preparado

O peso da escola nas despesas familiares, normalmente é elevado. Mesmo mudando de escola é importante entender que o aumento da mensalidade não ocorre somente por conta do reajuste, também há a mudança de série e segmento educacional, o que pode duplicar o impacto do aumento. Portanto, não adianta comparar o preço da mensalidade de 2017 de uma série com o da série seguinte (mesmo em outra escola).

Para pagar as mensalidades sem preocupação, além de muita conversa e planejamento, é necessário pensar nas economias que podem ser feitas ao longo do ano. As pessoas têm dificuldade de economizar porque têm medo de perder o status. Mas é preciso se adaptar, e isso só vai acontecer por meio de pequenos ajustes financeiros:

carona solidariaCarona solidária
Por que não conversar com pai de colegas e vizinhos que estudam na mesma escola? A carona pode reduzir muito os gastos com o transporte.

esportesEsportes
Muitos condomínios hoje contam com estruturas de lazer e esportes como quadras, parques e piscinas. Antes de pagar esta atividade extra, verifique se no próprio condomínio tem algum profissional que realiza estas atividades por lá, ou junte-se a outros pais e tente montar um grupo.
Com certeza, o valor sairá mais em conta.

LazerLazer
Com o orçamento mais estreito, vale trocar os R$ 100 gastos nos passeis no shopping por um piquenique no parque ou um dia na praia. Há diversas opções gratuitas ou de baixo custo e que ainda trazem benefícios à saúde.

mesadaMesada
No caso de quem dá mesada aos filhos, é bom tentar usar isso para estimular a educação financeira. Ensine-os a administrar os recursos que eles tem, mesmo que sejam algumas moedas. Não poupe criatividade para despertar este equilíbrio financeiro desde cedo.

ConversaConversa
É preciso conversar abertamente sobre dinheiro e orçamento com a família, inclusive com as crianças. Todo mundo precisa saber até onde vai a capacidade de gasto, planejar junto onde é preciso economizar e o que pode ser feito por todos.

 

Conclusão

Dentro de seus limites, não tenha pudores para investir tempo e dinheiro na educação dos seus filhos. É o melhor investimento que um parental pode fazer. Além do benefício óbvio, você ainda estará ajudando a construir um mundo melhor.

No fim das contas, o tempo e o dinheiro não dedicados a esse fim custarão o dobro (ou muito mais) mais tarde, com filhos que jamais serão capazes de administrar, construir ou manter algum patrimônio.

Pense nisso: nenhuma herança é capaz de superar o valor da educação.